sexta-feira , 19 outubro 2018
Home / NOTICIAS / Policia já tem suspeitos de caso de violação de sepultura em Tuparendi

Policia já tem suspeitos de caso de violação de sepultura em Tuparendi

 

Por Silvio Brasil

O Delegado pretende concluir inquérito antes do prazo de trinta dias, ele está na dependência dos resultados das perícias criminal, necropsia e papiloscópicos

A investigação sobre a profanação do Túmulo de uma garota de iniciais K.B de 27 anos sepultada no último domingo, dia 20 de maio no Cemitério Municipal da cidade de Tuparendi, localizado na saída para Lajeado Minas avançou e a policia já tem suspeitos. A policia tomou conhecimento do fato por volta das 15h da última segunda-feira, dia 21 de maio, quando foi acionada pela Brigada Militar após gentes de Endemias da Secretaria de Saúde da cidade de Tuparendi,  durante inspeção nos vasos de flores no cemitério se depararam com uma situação atípica em uma das sepulturas. Ao removerem alguns recipientes com flores elas perceberam que as folhas de concreto que tapavam o jazigo pareciam estar fora do lugar devido a uma abertura (Buraco pequeno). As agentes com o uso de uma lanterna resolveram olhar no interior da sepultura e para o susto das mesmas visualizaram a mão da garota sepultada. De acordo com o Delegado titular da delegacia de Tuparendi Tiago Tescke, inicialmente tratava-se de uma violação de sepultura, porém, a partir da informação de que um corpo havia sido manipulado ele se deslocou até o local e iniciou uma vistoria no tumulo e a policia observou que as folhas de concreto haviam sido removidas por alguém, danificado o caixão e mexido no corpo sendo o mesmo retirado parcialmente do esquife. Ainda conforme o delegado, logo em seguida, a policia recebeu inúmeras informações e boatos nos mais diversos sentidos inclusive de que a garota tivesse sido sepultada ainda com vida e aquela situação seria decorrida da mesma tentar sair da sepultura, no entanto, o delegado afirmou que essa linha de investigação está completamente descartada até mesmo pelas conclusões dos peritos criminais no qual concluíram que profanação ocorreu pela parte externa do jazigo. Ele ressaltou que com a finalidade de dirimir qualquer dúvida o corpo foi encaminhado para a necropsia na cidade de Santo Ângelo, mas a possibilidade está descartada. Outro fato é que o corpo tivesse sofrido Necrofilia,ou seja, abuso sexual, entretanto, o delegado Tiago Tesckeafirmou que essa linha de investigação está muito fraca, pois, não há indícios sobre o possível ato, mas ele está aguardando a conclusão de alguns laudos criminalístico e necropsia para descartar de plano, sendo essa uma linha que a investigação não está trabalhando. Em entrevista exclusiva para a reportagem para a Rádio e Jornal Noroeste na tarde de quarta-feira, dia 23, o delegado ressaltou que são duas as linhas principais da investigação. Uma delas é de que a ruptura da sepultura ocorreu por vilipendio ( Ato de manipular o corpo com desrespeito de forma desonrosa ao cadáver). A segunda é que a profanação ocorreu devido a intensão de furtar algum bem que estivesse junto ao corpo. Com relação a possíveis suspeitos, o delegado Tiago Tescke acrescentou que a equipe de investigação da Delegacia de Polícia de Tuparendi, está trabalhando e realizando uma triagem de alguns indivíduos com o objetivo de identificação, uma vez que foram coletados material papiloscópico, impressões palmares na tampa do esquife como também no vidro, e desta forma a policia está buscando colher material e enviar ao papiloscopista para ser efetuada uma comparação e chegar ao autor do crime em breve. Ainda conforme o delegado, a linha de investigação trabalha com a ação de duas pessoas, mas, não descarta que a profanação tenha sido realizada por apenas uma pessoa e se isso ocorreu a mesma teve muito trabalho para abrir a sepultura. Ela supostamente usou de cautela esperando o momento mais oportuno após o sepultamento no inicio da noite de domingo, dia 20, aproveitando que a massa utilizada para fixar as folhas de concreto da sepultura ainda não estava seca,  retirou as mesmas e quebrou as tampas internas, profanou o esquife, vilipendiou o cadáver e depois buscou refazer a sepultura com o objetivo de deixá-la o máximo possível da forma como estava antes do ato ou de como estava logo depois do sepultamento. Com relação a posição do corpo, o delegado enfatizou que pelo que  foi constatado, o corpo foi minimamente manipulado. O prazo para a conclusão do inquérito é de trinta dias, no entanto, o delegado espera conclui-lo antes e enviar para o poder judiciário. O delegado Tiago Tescke fez um pedido para quem por ventura souber de alguma informação que entre em contato com a delegacia de Tuparendi através do telefone (55) 3543- 1331 ou pelo número 197 da Polícia Civil.violação 2 violação 1

 

Comentários

comments

Veja Também

Terceira rodada

Municipal de Futebol Sete de Tuparendi teve rodada no final de semana

Foi realizada na noite da última sexta-feira (05), a terceira rodada do Campeonato Municipal de ...