sábado , 17 novembro 2018
Home / Colunas/Artigos/Esportes / Taça Cidade de Tuparendi: Muito mais que um torneio!

Taça Cidade de Tuparendi: Muito mais que um torneio!

Por Clovis Medeiros

No Brasil, geração após geração se emociona pelo futebol. Pode vir Fórmula-1, basquete, vôlei, boxe, mas no final, do que gostamos mesmo é de futebol. Nenhuma outra modalidade esportiva nos faz sentir tantas emoções. Aqui no Rio Grande, uns são gremistas, outros são colorados, mas ninguém aceita que alguém não torça para um ou para outro time. Indecisão não é aceita, tu tem que ser fanático. Ou tu é gremista ou colorado ou tu não é nada. Fica de fora até das rodas de conversa, que aliás se manifestam exacerbadas, os ânimos exaltados. Os vencedores fazem piadas, os perdedores prometem revanche. Se observarmos as torcidas em jogos importantes a impressão que e tem é de que poderá, a qualquer minuto, ocorrer um infarto coletivo.
Já li que futebol é como droga, entorpecente. Em alguns momentos te causa imenso prazer, em outros, uma tremenda ressaca. Quando se ganha e quando se perde. A verdade é que o futebol mexe com pessoas de todas as idades, jovens e adultos de todas as classes sociais e econômicas. Pois foi pensando nisso que no ano de 2001, um policial, Adilson Gilberto Fariataca-cidade-de-tuparendis, cria uma escolinha de futebol e, em homenagem ao primeiro nome de nossa cidade, a denomina de Academia Belo Centro. Tinha como objetivo unir os jovens através do esporte em torno de princípios como solidariedade, espírito cooperativo, sentimento de amizade, respeito, obediência, mas principalmente manter os jovens afastados dão perigo das drogas, ta comum com jovens dessa idade, quando os descaminhos são muitos.
Naquele momento o policial extrapolava o limite de suas funções na Polícia Civil e passava a prestar, de forma absolutamente voluntária, um serviço social de profunda relevância. Já no ano de 2006 começam a participar de competições de alto nível, jogam na Argentina, em outros Estados brasileiros. Hoje mais de setenta jovens com idade entre 4 e 14 anos participam da escolinha. Muitos deles são oriundos de famílias com precária situação financeira. Como forma de suprir as despesas com a manutenção do grupo a direção promove eventos como peças de teatro, ciclo de palestras, sempre explorando a temática das drogas ilícitas. Farias lembra de que a Prefeitura Municipal sempre foi parceira do trabalho da Academia.
No dia 14 de Novembro, terá início a XI Taça Cidade de Tuparendi e vai até o dia 19 de Novembro com as modalidades Sub 10, Sub 12 e Sub 14. Nos intervalos, haverá jogos amistosos com crianças entre quatro e oito anos. Para que se tenha uma idéia da grandeza do evento, já confirmaram presença equipes do Internacional, Grêmio, Chapecoense, Lajeadense, Oberá e Posadas, da Argentina, São Luiz Gonzaga, Três Passos, Ijuí, Campo Novo, Cruz Alta, Santo Augusto, Crissiumal, Horizontina, São Borja. No ano passado 36 equipes participaram.
Algo que começou de forma despretenciosa há mais de dezesseis anos, hoje leva o nome de Tuparendi a outros horizontes.Tudo isso graças a um líder que teve maturidade suficiente para sentir que o cargo não pode tornar uma pessoa mais fria, impessoal. Precisamos de líderes que possam enxergar além de seu próprio nariz. Farias descobriu que não basta ser um cidadão, virtuoso, religioso e respeitador da lei, é preciso agir como líder e fazer a sua parte.

Comentários

comments

Veja Também

44997148_2188712018083722_2479862461138731008_n (1)

É hoje a final do municipal de Bochas de Tuparendi

Nesta sexta-feira (09), acontecerá a grande final do Campeonato Municipal de Bocha de Tuparendi. A ...