quinta-feira , 21 junho 2018
Home / Destaque / Vereadores reprovam Projeto de Lei que previa empréstimo para pavimentação e irritam Administração em Tuparendi

Vereadores reprovam Projeto de Lei que previa empréstimo para pavimentação e irritam Administração em Tuparendi

A Câmara de Vereadores de Tuparendi  votou na sessão desta  segunda, 4, um Projeto de Lei de autoria do Poder Executivo, que previa um financiamento junto ao Ministério das Cidades, através do programa “Avançar Cidade”. Segundo explicou em entrevista a  Rádio Noroeste na manhã desta segunda-feira (foto)  o Prefeito Leonel Petry(PDT),  a Administração estava pleiteando um empréstimo de R$ 5 milhões,  que seriam investidos na construção de asfalto e principalmente de calçamento em diversas ruas do perímetro urbano e também rural do município. O financiamento teria juros de 6% ao ano, 48 meses de carência e 20 anos para pagar. “A primeira coisa que fiz quando ventilamos a possibilidade deste financiamento, foi  sentar com os contadores e com a Secretária da Fazenda, para analisarmos nossa capacidade endividamento,  e concluímos que havia esta possibilidade, e que poderíamos pagar com tranquilidade este empréstimo, e só então começamos a leoneltrabalhar nesse projeto”, explicou Leonel.

Ainda de acordo com o Prefeito, o Projeto exigiu muito trabalho da equipe de governo, e já estava praticamente  encaminhado, restando apenas o aval da Câmara de Vereadores, fato que  acabou não acontecendo. O Projeto de Lei proposto pelo Executivo foi colocado em votação na sessão ordinária desta segunda, 4, e reprovado por 5 votos a 3. Votaram contra os vereadores  de oposição,  Marcelo da Silva(PP), Perera(PP), Rodrigo de Oliveira(PSB) e Zair Zaguetti (PTB), mas o voto que mais   causou revolta do Governo, foi o voto do Vereador Kali Einsen(PDT), justamente o  líder do Prefeito na Câmara.  Kali votou contra e decretou a reprovação do Projeto de Lei, e dessa forma a Prefeitura não poderá conveniar e acessar o recurso.  Votaram favoráveis os Vereadores   Nerci de Souza(PDT)  e Feltraco(PDT), e a Vereadora Bea(PSDB).

Durante a entrevista concedida ao radialista Zelindo Cancian, Leonel e o Vice-Prefeito  Helio Kerkhoff (PSDB), criticaram duramente a postura dos Vereadores que votaram contra o Projeto de Lei, e atribuíram a questões políticas  a reprovação a sua reprovação: “Em um ano de Governo nós apresentamos muitas coisas a comunidade, e isto está dando uma dor de cotovelo muito grande nos nossos adversários, porque nada justifica uma coisa dessas”, reclamou Leonel.  Com relação ao voto de Kali Einsen, seu companheiro de partido, Leonel disse que o Vereador não lhe deve explicações, mas que  “terá que explicar aos seus eleitores a sua postura”.  Leonel e Dr. Helio também criticaram   o Vereador Luiz Zaguetti, morador da Vila Glória, comunidade que seria beneficiada com o recurso e teria várias  ruas pavimentadas com calçamento.  Leonel  ainda  afirmou que sem  este  recurso será impossível realizar este tipo de investimento.

Perguntado se poderia apresentar o Projeto novamente,  Leonel explicou que só poderá faze-lo no próximo ano, mas não demonstrou otimismo  com relação a isso.  “Será outro Governo, com outros Programas, infelizmente não tenho muitas esperanças com isso não”, declarou Leonel, que chegou ir às lagrimas durante a entrevista. Antes de encerrar, Dr. Helio foi duro com os Vereadores que votaram contra: “São pessoas manipuláveis, que estão sendo manipulados e  que verão o resultado disso nas próximas eleições”, concluiu o Vice-Prefeito.  Leonel promete procurar lideranças  da comunidade para explicar os acontecimentos.

A justificativa de Kali e da oposição para votar contra o Projeto

O Jornal Sentinela conversou com o Vereador  Rodrigo de Oliveira, um dos que votou contra o Projeto.  Ele explicou alguns motivos que levaram a oposição a adotar esta postura. Um dos motivos é o tempo que o empréstimo demoraria para  ser pago.  “Não é justo fazer uma dívida e deixar para que outras gerações paguem  o custo.  Eu fiz parte da administração passada e sei que passaram anos pagando contas de outros gestores, e isto iria se repetir agora”,  ponderou Rodrigo.  Ele ainda fez referências  negativas com relação ao valor que seria pago em juros, e até mesmo a questões ligadas ao  projeto de engenharia.  “E tem mais, isso pode não parar por ai. Recentemente foi adquirido uma área para o Distrito Industrial,  onde também será construído o parque de máquinas, e isso tudo vai precisar de dinheiro, pode ter certeza que de virá novo empréstimo por aí, e eu faço uma pergunta: Será que nós teremos condições de endividamento?”,  justificou e questionou  o Vereador.  Durante a sessão Kali Einsen (foto) justificou a posição afirmando ter temor pekalilo poder de endividamento do município, e com relação ao aumento de impostos aos moradores.  Kali ainda disse que o Prefeito deveria fazer empréstimo, mas pagar durante a sua gestão, e que este tipo de investimento poderia ser feito aos poucos, e não de uma só vez como propôs Leonel. “A gente não sabe o que vai acontecer amanhã. Talvez vão me crucificar pela minha postura, mas eu devo lealdade a quem me  confiou o seu voto. Se nós aprovarmos este empréstimo de algum lugar vai ter que sair o dinheiro, e isto virá do IPTU, da cobrança de taxas e assim por diante”, declarou Kali ao justificar o voto contrário e causar a ira da Administração Municipal.

 

Comentários

comments

Veja Também

935625_358134980975642_546222602_n

Do Fundo do Baú: O campinho da Dona Neli em Tucunduva nos anos 70

Em um tempo onde não havia nenhum tipo de passatempo eletrônico como vídeo games, internet  ...